30.11.11

orvalho...


... eu estava sozinha quando o sol surgiu depois da chuva.
me deliciei com a lembrança dos raios de luz
entre as árvores banhando as flores e a grama.
foi nostálgica aquela visão.
nessas horas, cismava qua fadas
sopravam névoas finas e faziam cair,
das pétalas e folhas, gotas reluzentes de orvalho.
deitada ao chão, tentando ver o céu entre os galhos,
eu sorria quando uma gota caia sobre mim.

um Déjà vu de sentimentos explode por dentro
quando lembro das gotas de orvalho.
caiam nos lábios e traziam um sabor arbóreo e fresco em cada gota.
é infinito esse sentir quando se transforma em arrepio.
parece querer ficar impregnado na gente...

hoje, me deitaria ao chão, num fim de tarde
só para olhar as nuvens que passam
e sentir arder o sol em mim...
são momentos que ficam
e que não se apagam com o tempo.

http://signatures.mylivesignature.com/54487/268/80AC6A36AB8CBD4A113EBCA8EF4E6AC0.png

5 comentários:

  1. Sentimentos que correm , que percorrem os sonhos, os desejos, e aquela sensação de já ter vivido tudo aquilo,,já ter visto todo aquele cenário de amor e paz...beijos minha linda e um dia de poesia pra ti.

    ResponderExcluir
  2. Um final de semana repleto de poesia e muito carinho pra ti minha amiga querida...beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  3. Belíssimo poema, Many!

    Em cada palavra escrita, estão todos os sonhos, sentidos, e emoções.

    Lindíssimo!

    Beijinhos e boa semana!

    Mário

    ResponderExcluir
  4. Nunca se está sozinho,
    quando se olha o orvalho pingar,
    deitado no chão,
    deixando o tempo passar!

    Beijo

    ResponderExcluir
  5. ººº
    Olá meu anjo, reportando-me sòmente à imagem, será que é mesmo uma gota de orvalho? Não será outra coisa? rsrs

    Amei o teu comentário, deu p'ra sorrir.

    Beijos orvalhados, só orvalhados, rs

    ResponderExcluir

Deixe-me, aqui, uma gota de ti...
Deixe-me o sonhar, o desejo...
Divida comigo teu sentir...