22.6.10

À Sombra de Um Vulcão


Nunca houve uma mulher como você
Em milhões de anos luz de solidão
Minhas noites novamente são azuis
Minhas tardes são douradas de verão

Você é o meu paraíso
A pessoa que eu tanto preciso
Com loucura e paixão

E rezo com o teu olhar
Eu gozo com a tua voz
Esse amor arrebenta com tudo
Parece até que o mundo
Não sobrevive sem nós

Nunca houve uma mulher como você
Entre tantas que já tive em minhas mãos
Eu preciso acreditar que sou feliz
Mas persigo os teus mistérios como um cão

E tudo parece tão claro
E tudo parece perfeito
Mas quando acordo e me vejo
O espelho diz que não

Quem sonha contigo molha a cama
Quem te ama dorme à sombra de um vulcão

(raimundo fagner)

(*foto: monica bellucci)

6 comentários:

  1. Como sempre,aqui é tudo de bom...rsss
    Saudadona de ti..
    te amodoro vissi?
    Beijos da Nega

    ResponderExcluir
  2. Lindo demais menina,,,super beijo de bom dia.

    ResponderExcluir
  3. Lindo este sonhar e molhar a cama...

    Beijoss

    ResponderExcluir
  4. Beijo carinhoso de bom dia pra ti menina....

    ResponderExcluir
  5. Feliz quem tem a sorte de ter uma mulher como essa né amiga...
    Lindo de viver...amei...mulher vulção é um dom...pois entramos em erupção quando menos se espera....
    ti adoro amiga...bjs carinhosos...

    ResponderExcluir

Deixe-me, aqui, uma gota de ti...
Deixe-me o sonhar, o desejo...
Divida comigo teu sentir...