21.12.09

Jeito de Mato


De onde é que vem esses olhos tão tristes?
Vem da campina onde o sol se deita
Do regalo de terra que teu dorso ajeita
E dorme serena, no sereno e sonha

De onde é que salta essa voz tão risonha?
Da chuva que teima, mas o céu rejeita
Do mato, do medo, da perda tristonha
Mas, que o sol resgata, arde e deleita

Há uma estrada de pedra que passa na fazenda
É teu destino, é tua senda onde nascem tuas canções
As tempestades do tempo que marcam tua história,
Fogo que queima na memória e acende os corações

Sim, dos teus pés na terra nascem flores
A tua voz macia aplaca as dores
E espalha cores vivas pelo ar...

Sim, dos teus olhos saem cachoeiras
Sete lagoas, mel e brincadeiras
Espumas, ondas, águas do teu mar...

(composição: paula fernandes/ maurício santini)

4 comentários:

  1. Uma linda composição.
    Linda também é sua sensibilidade e o teu jeito de ser.
    Beijos carinhosos.

    ResponderExcluir
  2. Seu poema dá aquela sensação de paz, de serenidade, de interior, do nosso interior, aquela saudade de alguma coisa ainda inexplicavel aos sentimentos...beijos menina e um dia lindo pra voce.

    ResponderExcluir
  3. ººº
    "... o sonho comanda a vida... "


    Bom Natal e um bom ano 2010

    ResponderExcluir
  4. Nany.... miga vim te desejar um mega Natal tb Um Feliz Ano Novo ,que tudo de bom possa acontecer em sua vida querida,nao sei se terei tempo de voltar a net por estes dias e nao queria de maneira alguma sair sem me despedir de ti...

    um bju carinhoso em seu coração,volto em 4 de janeiro ,sentirei saudades...


    Fatti__

    ResponderExcluir

Deixe-me, aqui, uma gota de ti...
Deixe-me o sonhar, o desejo...
Divida comigo teu sentir...